quarta-feira, 6 de maio de 2009

O Grande Projeto


Uma terra de sonhos, um plano tão grandioso.
Para trazer a todos este primor.
Uma chama prateada, fora de onde viemos.
É a chama prateada do tempo.
Um visão graciosa, uma velha miragem.
Um exemplo ideal da beleza.
Uma terra de verdade sob céu divino.
Um deslumbramento constante, dado aos herdeiros.
O mais brilhante grande projeto.
Memórias, desde o início do tempo.
Guardando isto, um plano perene.
Um falcão no céu, um navio com aquele casco para baixo.
Não é apenas uma tentativa, o que é decidido acontece.
A riqueza de idéias, mundos inspirados.
A essência da existência pacífica.
Hipnotiza-me,
A ilimitada aliança aguarda.
Caprichos, sem forçar os efeitos.
Sem tempo para cessar, tanto da esquerda para a direta.
Quem semeia o vento, irá colher redemoinhos.
E montado em um cavalo alto, descobre uma força temporal.
O esboço para encontrar, um mundo genuíno.
Está tudo no colo dos deuses.
Tarde demais, nós compreendemos.
Jogamos fora essa beleza.
Ouça o último toque da campainha.
A voz de Gaia está desaparecendo.
As coisas podem mudar
A quem possa consertar.
Isso não é um mero jogo de criança.
Uma escadaria de pedra fria.
Mas, esperança e amor nunca irão morrer.
Onde nós vamos e os nossos espíritos irão fluir?
Até onde iremos para nos descobrir?
O que aconteceu com você?
Esse dia, será o seu último no fim da fila.
Ouça o hesitante som da esperança.
Uma proeza de um gênio enterrado, no tempo presente?
O bom senso, sem razão, sem rima em tudo.
Para sempre e um dia
Se foi para nossa consternação.
Será que o grande projeto desapareceu?
Um mundo preenchido com raiva, está construindo a sua própria gaiola.
Será que vamos chegar muito cedo?
Esperança e uma forte vontade de mudança, é a força para reorganizar.
Será que podemos mover céu da terra, para tocar em um renascimento?
Quando nós tivermos nossa compreensão, e a última dúvida se for,
Todo sonho se renovará.
Nós só teremos seguido em uma única linha,
Nossa vida faz parte de um grande projeto.
Diego Santana

2 comentários:

  1. "...o bom senso sem razão, sem rima em tudo..." Texto apocaliptico... Abraços!

    ResponderExcluir